Massa lisa que se transforma em formas 3D quando cozida economiza na embalagem

massa

Em água quente, esta massa assume automaticamente uma forma 3D

Morphing Matter Lab. Universidade Carnegie Mellon

Móveis flat-pack são comuns, e massas flat-pack podem ser um dia também.

Wen Wang, da Carnegie Mellon University, na Pensilvânia, e seus colegas desenvolveram macarrão comestível 2D que incha em formas 3D quando cozido, como longas espirais semelhantes a fusilli e formas de sela semelhantes a conchiglie.

Os pesquisadores acreditam que a massa seca em embalagem plana pode reduzir drasticamente a quantidade de embalagem necessária para os alimentos, além de economizar espaço de armazenamento e transporte.

Por exemplo, quando o macarrão é embalado, cerca de 60 por cento do espaço na caixa ou saco é ar, estima Wang.

A massa 2D se transforma em formas 3D quando fervida porque cada peça é forrada com pequenas ranhuras, com menos de 1 milímetro de largura, em padrões específicos. As ranhuras aumentam a área de superfície de algumas partes de uma massa. Áreas com superfície mais alta absorvem água e incham mais rápido, diz Wang, que agora trabalha na empresa de alimentos e bebidas Nestlé.

“O padrão de ranhura em termos de profundidade, altura e espaçamento são muito importantes”, diz Wang. “Ao utilizar isso, podemos dobrar a massa no formato que gostaríamos.”

Os pesquisadores fizeram o produto usando uma receita de massa de massa italiana autêntica, consistindo apenas de farinha de semolina e água. Imprimir as ranhuras era a única etapa adicional necessária.

Os testes preliminares de sabor sugerem que a massa tem o mesmo sabor e sensação na boca que a versão regular.

Como as ranhuras aumentam drasticamente a área de superfície de um pedaço de massa, ele pode absorver melhor o molho, diz Wang. “Para que sua massa fique mais saborosa”, diz ela.

Antes que a massa se torne comercialmente disponível, a produção primeiro precisa ser drasticamente aumentada, usando ferramentas especializadas para imprimir as ranhuras de maneira precisa, diz Wang. Mais testes de sabor também são necessários para ver como os consumidores a avaliam em relação à massa normal.

Referência do jornal: Avanços da Ciência, DOI: 10.1126 / sciadv.abf4098

Mais sobre esses tópicos:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *